Bateria das Escolas de Samba: conheça os instrumentos do Carnaval

Saiba quais são os instrumentos musicais que dão vida ao evento mais colorido do Brasil

No Carnaval, as escolas de samba não teriam o mesmo brilho se não tivessem uma bateria muito bem afinada e com ritmo. Os componentes de uma bateria de escola de samba são muito importantes para que o espetáculo seja completo. Conheça os instrumentos que dão um show no Carnaval.

instrumentos musicais das baterias das escolas de samba

A bateria de escola de samba conta com mais de trezentos músicos que tocam dez instrumentos de percussão diferentes. Cada instrumento pertence a uma categoria e tem a função de produzir os sons graves, médios ou agudos.

O primeiro grupo da bateria é o dos surdos, tambores grandes que emitem sons graves e são responsáveis pela marcação de tempo na música. Geralmente, as escolas contam com 25 a 35 surdos. O tambor chamado caixa de guerra, tocado com uma ou duas baquetas, serve para marcar o andamento do samba e fazer alguns floreios rítmicos.

Já o repique – ou repinique – é um tambor menor, tocado com uma baqueta e uma mão livre, é usado nas famosas paradinhas e viradas do samba, dando sinal para os outros instrumentos retornarem. O chocalho, feito com soalhas perfuradas por hastes, produz som ao ser agitado.

Um dos instrumentos mais conhecidos do Carnaval, o tamborim define o “desenho” do samba e é tocado com uma baqueta. A cuíca parece um tambor com uma haste de madeira presa na parte de dentro, no centro da membrana de couro. Para tocá-la, o músico fricciona a haste com um tecido molhado e pressiona o dedo na parte externa do instrumento.

O agogô, formado por duas, três ou quatro campânulas de ferro de tamanhos diferentes, produz som a partir das batidas da baqueta. Composto por uma caixa de metal com duas ou três molas de aço esticadas sobre o tampo, o reco-reco é tocado com uma baqueta de metal friccionada sobre ele.

Algumas baterias também usam um par de pratos de metal, que são batidos um contra o outro. Sinônimo de samba, o pandeiro é uma membrana esticada sobre um aro e é tocado com a palma da mão. Hoje em dia, muitas escolas de samba não usam mais estes dois instrumentos, pois o som deles não pode ser ouvido junto com os outros. Mas eles ainda aparecem no Carnaval, de forma mais alegórica, já que permitem executar diversos malabarismos.

Agora, é só esperar para assistir ao desfile das escolas de samba e conferir a performance das baterias!

Crédito imagens: Decolar.com, Estação Musical